DSC04687bx

Demorei, mas agora sim vou contar sobre a minha aventura na primeira vez, que a gente nunca esquece, que participei de uma Parada da Diversidade.

No início do meu processo de aceitação da homo do meu filho, eu ouvia comentários diversos sobre a sexualidade humana, sobre gays, lésbicas, trans, sobre preconceito, sobre aceitação e sobre as “paradas gay”. Sobre as paradas eu acabei por ter uma imagem “ruim” pelas opiniões que ouvia, até mesmo falando para amigas que isso era tudo bagunça, que era ruim para a luta contra o preconceito pois as pessoas não se sensibilizariam vendo essa bagunça toda, que eu não apoiava, enfim, eu pensava com a cabeça dos outros.

Quando me aproximei do Dignidade, pois queria de alguma forma ajudar o movimento LGBT, conheci pessoas maravilhosas, sofridas, batalhadoras, que nem papel higiênico por vezes tem na sede, pois os recursos são bastante escassos. Pessoas que doam seu tempo pela conquista dos direitos de uma massa gigante de brasileiros, cidadãos marginalizados. Acolhem quem sofre violência, ajudam com apoio jurídico, ouvem para amenizar a pressão psicológica, oferem assistência social, organizam a Parada da Diversidade, se unem em Fórum para buscar a diminuição da violência e criminalização da homofobia, e além disso são homens e mulheres com suas dores, agústias, vida social,  empregos, ideais, alegrias e com um brilho nos olhos que é o amor que transborda dos seus corações. Me sinto honrada por estar próxima deles.

Eu tinha o sonho inicial de ajudar os jovens, pela internet, escrevendo pra eles, para ajuda-los com a auto-aceitação e com a aceitação familiar. Não sabia direito por onde começar, mas sabia que precisava começar. O Dignidade precisava de alguma ajuda, com coisas que estavam ao meu alcance e que se encaixavam no meu tempo, como material de criação gráfica e ajudar com o novo site. Estou dentro! O sonho de ajudar está se tornando realidade, pois me aproximo cada vez mais deles.

Então fiz o flyer do Fórum GDS para a Parada da Diversidade, com a ajuda de duas amigas mais que especiais, Ana e Indi, e consegui o apoio da gráfica OPTA para a impressão. Que felicidade! Veio o pedido de ajuda lá do querido Igor do Jovem Dignidade, e eu consegui ajudar. Entregamos para as pessoas nas baladas e nas ruas, o flyer que chamava o “sinal verde para a liberdade”. Conheci o Marcio Marins, presidente da APPAD do sábado que antecedia a Parada e ganhei uma camiseta para participar estampando meu apoio. Não pude participar das reuniões da organização da Parada, mas no domingo 27/09 eu estava cedinho lá, disponível para o que precisassem. Então, eu ganhei a “camiseta laranja”, a cor dos organizadores do evento! Me senti honrada. Dei carona para a praça da concentração para o Igor, Alberto, Juliana e aquela moça linda que espero possa me perdoar por esquecer seu nome. Eles estavam nervosíssimos, pois dali a pouco começaria o grande evento curitibano pela diminuição do preconceito contra LGBT. Ajudei com o que precisaram para os últimos detalhes e corri em casa almoçar.

Filhote voltou para lá comigo. Estacionamos no Mueller e de lá de cima tirei as primeiras fotos da concentração. Tudo lindo, cheio de gente e colorido. Descemos e fomos para o meio do povo, vimos o pronunciamento das autoridades e a contagem regressiva. Tudo perfeito!

a concentração

a concentração

Marisinha, amiga querida e mãe também, mostrando sua força

Amiga querida e mãe também, mostrando sua força

Deputado Dr Rosinha, Toni Reis - presidente da ABGLT e demais autoridades abrindo o evento

Deputado Dr Rosinha, Toni Reis - presidente da ABGLT e demais autoridades abrindo o evento

Rafa Wiest, presidente do Dignidade, estava lindíssima!

Rafa Wiest, presidente do Dignidade, estava lindíssima!

Mais fotos do estacionamento do shopping. Eu estava maravilhada de ver tanta gente unida pelos seus direitos. Voltamos para a avenida Cândido de Abreu e o Igor, presidente do Voz/ Jovem Dignidade chamou para subirmos no Trio Magia, o carro principal, de abertura, e que levava os grandes nomes paranaenses da luta LGBT. De lá eu não saí mais, e só vi alegria no rostinho das pessoas em volta. Não vi violência, mas sim famílias com seus filhos. Não vi baixaria, mas sim pessoas que se amam podendo demonstrar carinho publicamente. Não vi drogas, mas sim muita adrenalina nas veias de pessoas felizes.  Toni, David, Rafa, Igo, Marcio, Marli, Igor e seus amigos, meus parabéns por tudo o que vocês conseguiram nesse dia 27/09, em Curitiba. A festa estava maravilhosa.

DSC04645bx

DSC04646bx

DSC04678bx

"tudo junto e misturado" - viva a diversidade!

"tudo junto e misturado" - viva a diversidade!

Espero que tenham gostado desse post.

Um beijo carinhoso.

Anúncios

Faça diferente

junho 7, 2009

Você consegue, você pode fazer, não deixe passar. Engate uma terceira marcha e acelere um pouco mais. Não fique dando desculpas, erga essa cabeça e encare a sua vida. A vida é só essa! Até que se prove, você não vai voltar para refazer, consertar, pedir perdão, oferecer ajuda, amar.

O que você está fazendo com a sua vida? Pensa que daqui a alguns anos fará diferente? Não fará! Faça agora! Viva o presente. Tem alguém precisando do seu sorriso? Você magoou alguém? Na esquina encontrou uma pessoa que te olhou atravessado, que não te cumprimentou, ou te olhou de cara fechada? Então faça diferente. Você não tem poder sobre as ações dos outros, mas tem poder sobre as suas. Ofereça um sorriso sem esperar retribuição. Por que você não pede perdão pelo que fez? Olhe nos olhos. Diga que está arrependido. Cumprimente com um “bom dia” mesmo sem esperar o retorno. Olhe para as pessoas com um sorriso nos lábios. Faça por você, sem esperar nada em troca.

Você é um ser único e merece a felicidade. Compare a vida com um piso de lajotas, e que você precisa pisar em todos para poder caminhar. Imagine que cada lajota dessas é alguém com quem você convive. Uma delas é a sua família, seu pai, sua mãe; seu filho, sua filha; seu irmão, sua irmã; uma tia querida; um sobrinho amado. Outro ladrilho é o seu amigo, suas amigas. Tem a lajota do seu trabalho, com o seu dia-a-dia, seus colegas, funcionários, chefes, clientes, fornecedores. Uma dessas lajotas é a sua saúde física. Outra é a sua saúde mental, estar bem consigo mesmo, fiel aos seus princípios. Imagine-se sem uma delas, sem poder pisar na lajota que estão os seus amigos. Você vai acabar caindo sem poder contar com esse passo. É assim a nossa vida, nós precisamos pensar que para essa caminhada ter um belo trajeto esses ladrilhos precisam estar todos ali, e que se algum deles faltar, teremos o outro para nos apoiar.

Você é o único responsável pelo seu caminho. As lajotas lhe oferecerão apoio mas você precisa atentar para que todas estejam ao seu redor. E estão? É a sua vida! O que você está fazendo com a sua vida?

Um lindo e maravilhoso dia pra você!